SEMANA DE ABERTURA

JULHO 2015

Do dia 20 ao 24 de Julho de 2015 ocorreu, na Estação Casa do Bananal, a Semana de Abertura do Projeto. Começamos com o Samba de Brecht, depois tivemos dois estudos cada qual com um filme de introdução. Os filmes foram exibidos na sala da Estação, com almofadas, cadeiras de praia, um telão e projetor. Teve até pipoca e cobertor!

SAMBA DE BRECHT 20.07

roda de samba e teatro

conexões entre sambas de breque e canções de Brecht

o breque interrompe o fluxo da fala

o público participa cantando e dizendo textos e poemas

de brecht

FILME I. 21.07

"A questão humana" - Nicolas Klotz

FILME II. 23.07

"Shine" - Scott Hicks

JORGE LARROSA

É professor de Filosofia da Educação na Universidade de Barcelona. Fez estudos pós-doutorais em Paris e Londres. Autor de vários livros publicados na Espanha, Argentina, Colômbia, México, Venezuela, França e Brasil. Autor de quase una centena de artigos em revistas especializadas de diversos países. Membro do Conselho de Redação de diversas revistas especializadas de diversos países. Foi professor convidado em várias universidades europeias e latino-americanas. Seus trabalhos, de clara vocação ensaística, se movem entre a filosofia, a literatura, as artes e a educação. Seus temas principais são a relação entre a experiência e a linguagem, a experiência e a subjetividade, a experiência e a educação. Trabalha frequentemente com artistas (tanto das artes plásticas como das artes cênicas) e com mediadores culturais. Entre seus livros (publicados no Brasil pela editora Autêntica, de Belo Horizonte) destacam-se: Pedagogia Profana. Danças, piruetas, mascaradas; Nietzsche e a educação; Estudiar/Estudar; Habitantes de Babel. Politicas e poéticas da diferença; Linguagem e educação depois de Babel; Tremores. Escritos sobre experiência.

ESTUDO I. 22.07

Língua máquina, com Jorge Larrosa

a partir da carta de lord chandos

de hugo von hofmannsthal

e de outros textos que seguem seu rastro

se trata de refletir sobre a mecanização da língua na sociedade contemporânea

sobre a produção massiva de uma língua sem ninguém dentro

sem outro a quem dirigir-se

sem densidade nem mistério

meramente comunicativa

voltada à eficácia e à transparência

ESTUDO II. 24.07

Linguagem, representação, afeto 

com Luiz Ausgusto de Paula Souza (Tuto)

certa vez escrevi lá pelo meio de um poema

coube a nós, e ainda hoje, inventar um mundo livre entre os muros

lá onde as palavras

ainda que sejam estas

serão outras

 

aqueles versos insinuavam que a linguagem

por um lado

nega a condição trágica do humano

condição dada pelas variabilidades

acasos

instabilidades

provisoriedades

imprevisibilidades

e inventividade da aventura humana

 

por outro lado

a afirma

é sobre essa ambivalência da linguagem

que desejo conversar aqui

LUIZ AUGUSTO DE PAULA SOUZA (TUTO)

Professor titular da Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde da PUC-SP, pesquisador e membro da coordenação do Laboratório de Inteligência Coletiva (LInC). Seu trabalho, há vários anos, volta-se às relações entre a linguagem e

os afetos (entendidos como potência para afetar e ser afetado pelo outro), sobretudo nos campos da saúde e da comunicação. Além de vários artigos em periódicos científicos, suas produções mais recentes são: uma série televisiva de três episódios e um longa metragem sobre a nova cena do Jazz Cubano (em pós-produção); a organização do Livro "Diálogo (bio)político, alguns desafios à implantação da rede de cuidados à pessoa com deficiência do SUS", publicado pelo Ministério da Saúde em 2014, produções realizadas com os outros coordenadores do LinC, Max Alvim e Rogério da Costa. Além dessas obras, desde 2011 participa de uma aventura televisiva na TVT (TV dos Trabalhadores, primeira concessão brasileira de televisão aberta aos movimentos sindical e social), apresentando e fazendo parte da equipe de produção e edição do programa de debates "Melhor e Mais Justo", que vai ao ar semanalmente na TVT e na Rádio Brasil Atual FM.

foto joão gold

site desenvolvido por cacá dal farra